endereçoAv. Brasil, 694 - Centro Faxinal - Pr
telefone(43) 3461-8000
Acessibilidade acessibilidade

surpresa

Filho decide se casar em hospital de Curitiba para ter a presen?a do pai

Sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Última Modificação: 05/11/2018 13:36:17


Ouvir matéria

Os noivos mudaram o local da cerimônia e o casamento ocorreu no Hospital Nossa Senhora das Graças. 

Era para ser mais uma noite no hospital, mas não foi. Carlo Marucco estava crente de que iria inaugurar uma nova sala de raio-x do Hospital Nossa Senhora das Graças, em Curitiba. Calçou as sandálias franciscanas, se enrolou em uma manta amarela e saiu numa cadeira de rodas do quarto da instituição onde batalha diariamente contra o câncer de intestino. Assim que chegou, percebeu - instantaneamente - o que acontecia: era o casamento do seu filho. E ele poderia participar, no melhor estilo “se Maomé não vai à montanha, a montanha vai até Maomé”.

VÍDEO: veja como foi a cerimônia no hospital

FOTOS: veja imagens do casamento

O empresário Luiz Augusto Marucco, de 31 anos, e a promotora de vendas Michelle Ascoli da Silva, 32 anos, tinham tudo planejado para realizar o casamento nesta sexta-feira (14), quando celebram seis anos dos relacionamento. Era para ser uma cerimônia para 150 pessoas em uma chácara da Região Metropolitana de Curitiba. A presença de Carlo Marucco, pai do noivo, e corretor de seguros de 67 anos, era garantida.

Mas os médicos foram irredutíveis. Era melhor não dar alta para Marucco nesta quinta-feira (13) antes de sua recuperação completa, já que ele luta contra a doença há um ano e meio.

O pai do noivo já estava resignado e certo de que não iria ver seu filho se casar. “Quando eu soube que não poderia participar do casamento, foi só choro”, confidencia Marucco. “Tive que deixar escorrer as lágrimas. E não é vergonha, né? Todo homem chora, por amor, por tudo”, brinca.

Em uma atitude corajosa, os noivos não pestanejaram em mudar tudo da noite para o dia. “Que a festa venha até ele”, anunciaram Michelle e Marucco, o filho, para o restante da família. “O importante era ter a bênção e a presença do Carlo. Não importava se fosse com pompa ou sem pompa, na igreja, na chácara ou no hospital”, diz Michelle. “O casamento não teria sentido se ele não pudesse participar”, finaliza.

“Era mais fácil trazer o casamento para o hospital do que apressar as coisas e forçar a saída dele [Carlo]”, pontua o filho. “Achei que a cerimônia realmente não fosse acontecer. Ele voltou do coma, teve força de vontade e pode participar desse momento em nossas vidas”, afirma o noivo.

Sobre a surpresa, o pai não esconde: “Foi maravilhoso! Agora espero que eles aguentem também. Não precisa ser 50 anos de casado como eu, mas desejo muitos anos de felicidades para os noivos”, discursou Marucco, rodeado por microfones e câmeras. Como sentenciou Michelle: “A vida pode seguir seu rumo sem muita lágrima.”

Fonte: Gazeta

 Veja Também